Skip to content

Body Changes /parte 1

Setembro 27, 2009

Foi totalmente ridículo o sumiço dos últimos dias, mas os trabalhos da faculdade e os projetos pessoais (que em breve falarei aqui) acabaram tomando todo o meu tempo disponível (ou não)  e lá se foram onze dias.

Pra compensar, hoje o post tá grande e eu vou falar de Tatuagens e Piercings. Pelo título já dava pra ter idéia, não é? Agora você se pergunta por que falar disso… Então aguarde até o meu próximo post para entender e boa leitura.

Se tiver alguma dúvida sobre o assunto, coloque ali nos comentários que vou procurar ajudar.

 

História da tatuagem

Também conhecida como dermopigmentação, a tatuagem é uma das formas de modificação do corpo mais conhecidas e cultuadas. Para os apreciadores da arte, a tatuagem tem por objetivo ser uma obra de arte viva e temporal, tanto quanto a própria vida.

Provas arqueológicas confirmam que os povos do Egito já se tatuavam entre 4000 e 2000 a.C. além dos nativos da Polinésia, Filipinas, Indonésia e os maori (Nova Zelândia).

Na idade média, a tattoo foi banida pela igreja católica chegando a ser proibida pelo Papa em 787, sendo considerada como pratica demoníaca e ato de vandalismo com o próprio corpo.

Em 1879 o Governo Inglês adotou a tatuagem como uma forma de identificação de criminosos, sendo assim as tatuagens ganharam uma conotação “fora da lei” no Ocidente e eram feitas com ossos finos e um martelinho que auxiliava na perfuração e introdução da tinta na pele.

No Brasil, a tatuagem elétrica é bastante recente, surgindo nos anos 60 na cidade de Santos. A primeira loja nacional destinada a esta arte situava-se próxima ao cais do porto de Santos onde, na época, era zona boemia e de prostituição, o que contribui bastante para o preconceito e discriminação da atividade.

Cuidados com a sua

  •  Filme Plástico

Muitos tatuadores aconselham a utilização de filmes plásticos (daqueles de cobrir comida) durante os três primeiros dias no local da tatuagem recém feita. Mas nem todos compartilham da mesma opinião. Muitos alegam que a pele recoberta por plástico, com resíduos de pele e líquidos (linfa, sangue, tinta, suor) podem criar um ambiente propício para formação de colônias de bactérias. Nesse caso o ideal é manter o plástico por, no mínimo, cinco horas (tempo para a cicatrização inicial) e depois retirar, só recolocando a noite (na hora de dormir) para não grudar no lençol, nos três primeiros dias.

  • Lavagem

O local deve ser lavado com sabonete neutro durante o banho, após algumas horas, para manter o local limpo, pois os resíduos podem criar uma superfície de risco por falta de assepsia.

  • Água

A água é de grande importância para o processo de cicatrização fazendo parte da cadeia de fixação do colágeno. Peles muito ressecadas perdem mais células e podem demorar mais a cicatrizar. Mas é importante lembrar que o excesso de água prejudica ao amolecer a casquinha. Por isso: não exponha sua tatuagem recém feita ao sol, não vá à praia, nem piscina ou saunas e nem tome banhos demorados. Passar bucha abrasiva ou sabonetes fortes? Nem pensar, né!

  • Pomada

Sempre após a assepsia é aplicada uma fina camada de pomada até completar a cicatrização da tatuagem que pode variar de 7 a 40 dias. Três vezes ao dia é o ideal. Para isto, duas pomadas são indicadas. A mais comum é a utilização de Nebacetim, mas algumas pessoas apresentam alergia com a associação da pomada à tinta ou à perfuração excessiva da pele. Para estes casos deve ser utilizada a pomada de dexpantenol ou cicatrização a seco até que a inflamação passe.

  • Casquinha

Nunca, jamais, nem pense, sonhe, ouse ou cogite a hipótese de puxar a casquinha. Esse é um conselho unânime entre todos os tatuadores. Durante o processo de cicatrização, há o período de retração da pele. Nesse momento você sentirá muita coceira. Resista! Vença a coceira e a curiosidade e não tire a casquinha. O ato pode abrir buracos no desenho deixando a tatuagem com falhas indesejáveis.

  • Alimentação

Deve-se tomar muito cuidado com a ingestão de alimentos que possam provocar alergia e de alimentos muito gordurosos durante o processo de cicatrização. Isto é, mantenha distância de carne de porco, frutos do mar, pimentas, côco, chocolate e comida japonesa.

História do piercing

É uma forma de modificação do corpo normalmente furando-o a fim de introduzir um metal esterilizado.

Para os esquimós do Alasca, os piercings nos lábios e na língua indicavam a transição para o mundo adulto e significava que a criança havia se tornado um caçador.

Na Índia é bem comum as mulheres furarem o nariz, o septo nasal e as orelhas. O piercing da ala do nariz era reservado às castas mais altas enquanto o septo nasal perfurado é originário da Nova-Guiné.

Na época dos faraós, os piercings no umbigo eram exclusivos da família real. E os antigos Maias perfuravam os lábios, o nariz e as orelhas.

Tempo médio de cicatrização do piercing

  • Lábio – 1 mês e 1 semana a 4 meses
  • Língua – 4 a 6 semanas
  • Bochecha – 2 a 3 meses
  • Sobrancelha – 6 a 8 meses
  • Tragus (orelha), Sobrancelha, Septo – 6 a 8 meses
  • Cartilagem da orelha – 1 ano
  • Aba do nariz – 2 meses a 1 ano
  • Umbigo – 6 meses a 1 ano
  • Mamilo – 4 meses a 1 ano
  • Lábio interno, Clitóris- 4 a 8 semanas
  • Lábio externo, Períneo – 2 a 6 meses
  • Pênis – 8 semanas
  • Nuca – 6 a 8 meses
  • Cartilagem da Orelha e Nariz- 3 meses a 1 ano
  • Braço, pulso- 1 a 2 meses  

flah castro.

Anúncios
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: